População de Minas aprova casamento gay, diz pesquisa

Evangélicos formam grupo com maior rejeição a direitos iguais entre homossexuais e héteros

Publicado em 06/08/2018
Casamento gay: população de Minas Gerais aprova
Menos de um terço das pessoas pesquisadas disseram-se contra a igualdade de direito

Com fama nacional de conservadores, os mineiros mostram que estão mais antenados às mudanças comportamentais na sociedade do que se imaginava.

Curta o Guia Gay BH no Facebook

Em sua sétima edição, a pesquisa Minas no Brasil 2018, identificou que 62,8% da população acredita que casamentos formados por gays e lésbicas devem ter os mesmos direitos que os compostos por héteros.

Enquanto isso, 29% pendem para o lado oposto: pensam que uniões homossexuais não devem ter os mesmos direitos. Os indecisos formam pouco mais que 8%.

No recorte por religião, 55% dos evangélicos são contrários aos direitos do casamento entre pessoas do mesmo sexo. O número é bem superior ao dos católicos (só 19,9%) e de pessoas pertencentes a outros credos (26,5%).

A respeito de poligamia, a maioria dos mineiros (62%) está de acordo com a proibição de se casar com mais de uma pessoa ao mesmo tempo. Dentre evangélicos, o índice sobe para 71%.

A pesquisa foi realizada pelo Grupo Mercadológica em parceria com o jornal O Tempo entre 16 e 19 de julho.


© Todos direitos reservados à Guiya Editora. Vedada a reprodução e/ou publicação parcial ou integral do conteúdo de qualquer área do site sem autorização.