Bancada evangélica não quer menores de 18 anos vendo Super Drags

Desenho da Netflix tem dublagem de Pabllo Vittar e Silvetty Montilla e estreia nesta sexta-feira 9

Publicado em 04/11/2018

Bancada evangélica quer mudar classificação do desenho Super Drags

A Frente Parlamentar pela Defesa da Vida e da Família do Congresso Nacional divulgou nota de repúdio ao desenho animado Super Drags, da Netflix.

Curta o Guia Gay BH no Facebook

Para os deputados da Frente, o desenho retrata assuntos de cunho moral de forma "obscena" e "não educativa".

A classificação indicativa da atração, para pessoas a partir de 16 anos, é contestada. Os parlamentares pedem que seja alterada para 18 anos.

A classificação para maiores de 18 anos, elaborada pelo Ministério da Justiça, é para obras que contenham incesto, sexo grupal, fetiches violentos e pronografia em geral, como o próprio documento da Frente relata.

O vice-presidente da Frente, o deputado federal Alan Rick (PRB-AC), que também é pastor evangélico, diz que o desenho é uma ataque às crianças.

"O que estamos vivenciando e confrontando no Congresso são tentativas sórdidas de influenciar sexualmente nossas crianças", diz.

O desenho tem Pabllo Vittar e Silvetty Montilla, dentre outras artistas, como dubladoras e estreia nesta sexta-feira 9 na Netflix.

Netflix: desenho Super Drags

 


© Todos direitos reservados à Guiya Editora. Vedada a reprodução e/ou publicação parcial ou integral do conteúdo de qualquer área do site sem autorização.