Comercial do Banco do Brasil vetado por Bolsonaro tinha trans

Presidente da instituição bancária afirmou que o governo foi eleito para 'rejeitar a sociedade alternativa'

Publicado em 28/04/2019
banco do brasil transexual bolsonaro veto comercial
Além de muitos negros e jovens, propaganda tinha trans

A diversidade que tanto incomodou o presidente da República Jair Bolsonaro (PSL) no comercial do Banco do Brasil, o que o levou a exigir a tirada do vídeo do ar, incluía uma pessoa trans. 

Curta o Guia Gay BH no Facebook 

A informação foi divulgada pelo jornal Folha de S. Paulo, que a qualificou como transexual. 

Mais
>>> Bolsonaro tentou tirar 'close' e outros termos LGBT de comerciais
>>> Bolsonaro: 'Brasil não pode ser país do turismo gay. Temos famílias'

Nas primeiras notícias a respeito do comercial foi dada ênfase ao grande número de negros, à variedade de tipos de cabelo e à presença de pessoas tatuadas. 

O funcionário responsável pelo comercial no Banco do Brasil foi demitido. 

Em nota, o presidente da instituição bancária, Rubem Novaes, afirmou que a esquerda brasileira "procurava caracterizar o cidadão ‘normal’ como a exceção e a exceção como regra".

A mesma esquerda, ainda de acordo com o texto, seria responsável  por "uma guerra cultural tentando confrontar pobres e ricos, negros e brancos, mulheres e homens, homo e heterossexuais etc, etc."

E arrematou: "o povo majoritariamente conservador fez uma clara opção no sentido de rejeitar a sociedade alternativa".

A trans aparece a partir dos 18 segundos da peça publicitária.


© Todos direitos reservados à Guiya Editora. Vedada a reprodução e/ou publicação parcial ou integral do conteúdo de qualquer área do site sem autorização.