Segundo site, secretário de Crivella emprega irregularmente namorado

Caso envolve secretário da Casa Civil, Felipe Ribeiro Ramalho. Órgão nega ilegalidade

Publicado em 19/04/2019
Felipe Ramalho e namorado: casal gay funcionários da Secretaria da Casa Civil do Rio de Janeiro
Felipe e Eduardo no carnaval do Rio de Janeiro. Foto: Reprodução/Facebook

Chefe de gabinete e atual responsável pela Secretaria da Casa Civil da Prefeitura do Rio de Janeiro, Felipe Ribeiro Ramalho viu seu nome envolvido em denúncia esta semana.

Curta o Guia Gay BH no Facebook

O namorado de Ramalho, Eduardo Pereira da Costa, é funcionário comissionado da prefeitura, mas passa boa parte do dia em barbearia na Zona Norte da cidade.

O Blog do Berta acompanhou a rotina de Eduardo durante uma semana - entre 9 e 16 de abril. Em contato com a Marquinhos Barber Shop, no Shopping Nova América, a reportagem foi informada que o homem pode ser encontrado na loja entre 10 da manhã e três da tarde.

A reportagem, então, esteve na loja e verificou que Eduardo realmente chegava pela manhã e saía à tarde. "Passou a maior parte do tempo atrás de um notebook, no balcão da loja, mas saía em alguns momentos para sentar numa das cadeiras em frente à barbearia, onde conversava com outros funcionários", relata o blog.

Segundo o blog, a Casa Civil segue o horário padrão de outras repartições da prefeitura, cerca de 9h às 18h, o que deixaria clara a incompatibilidade de horários do namorado de Ramalho no órgão e na barbearia.

Eduardo tem cargo de assistente e salário de R$ 15,5 mil brutos (sendo R$ 11,6 mil líquidos).

Ainda assim, em nota, a assessoria de imprensa da secretaria afirma que as funções não são incompatíveis.

"A Casa Civil informa que o funcionário Eduardo Pereira da Costa atua na supervisão das ações das diversas Superintendências, Regiões Administrativas e Supervisões Regionais da cidade, visando garantir o pleno funcionamento dos órgãos para o cidadão", diz a nota.

"Quanto ao vínculo do funcionário com o empreendimento citado, Eduardo informou à secretaria que é sócio do negócio e que comparece ao local com constância, o que não é incompatível com seu trabalho de acompanhamento junto aos órgãos da prefeitura, cujo exercício, aliás, muitas vezes extrapola o tempo que o funcionário deveria cumprir."

Eduardo foi contratado como funcionário comissionado em 18 de janeiro de 2018, no mesmo dia em que o namorado, Felipe, ganhou cargo de direção na pasta. 

Eles entraram quando o prefeito Marcelo Crivella (PRB) nomeou o vereador Paulo Messina (Pros) como secretário da Casa Civil. Este mês, Messina voltou à Câmara de Vereadores para tentar impedir o impeachment de Crivella e Felipe assumiu a pasta. Em março, o salário de Felipe foi de R$ 42 mil brutos (R$ 27,6 mil líquidos).

O blog apurou, junto ao site da Receita Federal, que apesar de Eduardo afirmar ser sócio-proprietário da barbearia, a loja, aberta em julho de 2016, está no nome do casal Marcos Antonio Santiago Oliveira e Simone Locatelli Lomar Santiago Oliveira.

Em 2017, na prestação de contas ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), Simone constou como tesoureira do Diretório Municipal do Rio. Naquele mesmo 18 de janeiro do ano passado, quando o casal Felipe e Eduardo entraram para a Casa Civil, Simone também foi nomeada para um cargo de assistente. Seu salário, em março, foi de R$ 24,7 mil brutos (R$ 17,8 mil líquidos).

Em nota enviada ao blog, Simone afirmou que não é mais afiliada ao Pros e que a barbearia foi montada pelo marido com recursos da familia. 

Felipe e Eduardo estão juntos há nove anos e não há informações se são casados legalmente.


© Todos direitos reservados à Guiya Editora. Vedada a reprodução e/ou publicação parcial ou integral do conteúdo de qualquer área do site sem autorização.